Nossa História

Uma das melhores formas de perpetuar uma organização é fazer o registro de suas atividades e sua contribuição para o desenvolvimento de uma sociedade.

O Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão está completando 100 anos e um dos destaques das comemorações é o resgate da história da Corporação, feita utilizando recursos da mídia para dar à comunidade visibilidade de um trabalho significativo e indispensável.

O Corpo de Bombeiros é uma instituição presente que tem buscado o aperfeiçoamento técnico e operacional de sua prestação de serviços e, por isso mesmo, conquista cada vez mais o respeito e a credibilidade junto a uma sociedade que não somente se beneficia, mas também é parceira de suas ações.

O objetivo das comemorações é despertar e aumentar ainda mais os sentimentos de respeito, estima e admiração pelo Corpo de Bombeiros, além de registrar definitivamente sua marca na história do estado do Maranhão.

Princípio
O ponto de partida do trabalho do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão foi a Lei Nº 294 , editada em 16 de abril de 1901 que autorizava a criação de um serviço de combate ao fogo.
Apesar dessa determinação somente no ano de 1903 o serviço foi oficializado por um ato do Vice-Governador do Estado, Alexandre Colares Moreira Júnior que criou uma Seção de Bombeiros, encarregada do serviço de extinção de incêndios, comandada por um oficial do Corpo de Infantaria do Estado, o Alferes Aníbal de Moraes Souto. A Seção tinha, além do Comandante, um 1º Sargento, dois 2º Sargentos, um Furriel, 02 Cabos e 30 soldados. Essa era a primeira equipe encarregada de combater incêndios no Maranhão.

Aos poucos a Seção foi se estruturando, mas os registros históricos são insuficientes para se contar a sua trajetória com precisão. Sabe-se que o Corpo de Bombeiros funcionou na Rua da Palma, no centro da cidade e que durante algum tempo foi municipalizado. Em 1926, a Lei estadual Nº 1264 incorporou a Seção de Bombeiros à Polícia Militar.

O serviço funcionava precariamente; por isso, no governo Paulo Ramos foi recriada a Seção de Bombeiros, cujo efetivo recebeu treinamento específico. Em 1957 o Corpo de Bombeiros foi transferido para a administração estadual, ficando subordinado à Secretaria de Estado dos Negócios do Interior, Justiça e e o Corpo de Bombeiros deveria ser um oficial com especialização BM.

Segurança. A Lei Nº 1138 definiu que o Corpo de Bombeiros deveria ter um oficial com especialização BM.

Novas mudanças:
No ano de 1959 a Seção de Bombeiros foi integrada à Polícia Militar, sendo subordinada ao Comando Geral.

Mesmo com todas essas mudança de caráter administrativo a prestação de serviço do Corpo de Bombeiros foi se construindo do trabalho de combate ao fogo. Em 1975 o governo estadual firmou um convênio com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Portuária – INFRAERO que permitiu a instalação de Seção de Combate a Incêndio no Aeroporto Cunha Machado com o objetivo de prestar socorro imediato às vítimas de acidentes com aeronaves.

A evolução do Corpo de Bombeiros talvez possa ser expressada pelos muitos endereços que a Corporação já ocupou até chegar ao atual. O CBM instalou-se na Av. Gomes de Castro, no Convento das Mercês.

Iniciou uma nova etapa em suas atividades administrativas, implementando as ações já existentes e implementando novos serviços, num trabalho que se complementou a cada Comandante que assumiu a corporação. Um dos marcos da história do CBMMA foi a instalação, em 1999, do Serviço de Atendimento Pré-hospitalar, um dos mais importantes que o Corpo de Bombeiros presta à população.

A década de 90 representou um notável crescimento qualitativo para a Corporação que consolidou uma nova estrutura administrativa e absorveu novas atividades, como vistorias, perícias e significativos trabalhos de prevenção.
Ao completar 100 anos , a Corporação vive a expectativa de novos investimentos para alavancar projetos já traçados que resultem em segurança cada vez maior à população.